Home Page Pensamentos Minha Cidade Links Arquivos Contato

HELIO JAMPA

O que a mídia golpista não mostra


25-12-2007 As falácias da CPT contra o projeto da transposição do São Francisco.

A adutora não foi feita para abastecer nenhum projeto especifico de agrobusiness ou industrial; ela reforça as adutoras e açudes já existentes, dando ao Nordeste uma perspectiva de longo prazo de desenvolvimento econômico, urbano, agrícola.

O bispo não menciona quais seriam esses projetos gigantes. Procurei exaustivamente e acabei encontrando a origem da desinformação: um documento da Comissão Pastoral da Terra, hoje a principal produtora de falácias contra o projeto, ao ponto de desbancar a Companhia Hidroelétrica do São Francisco (Chesf), que não admitia perder uma gota do rio que aciona seus geradores em Paulo Afonso.

A CPT alega que a adutora “vai servir para a siderúrgica do Pecém, vai servir para a agroindústria do Apodi”. Ora, a siderurgia do Pecém fica próxima ao litoral, no Ceará, distante centenas de quilômetros do ramo Norte do projeto, que mal entra no Ceará, desviando-se em direção à Paraíba e ao Rio Grande do Norte, depois de reforçar o Riacho dos Porcos. Desse riacho até Pecém são centenas de quilômetros de rios que até mudam de nome e passam por açudes diversos. Não tem nada a ver com a siderúrgica, que já tem abastecimento local assegurado de 2 metros cúbicos por segundo, para um consumo de apenas 1,73 metros cúbicos por segundo.

Esses dados foram admitidos pela Agência Brasil de Fato, do MST (www.brasildefato.com.br). Como contradizem o argumento da CPT, a agência alega que, no futuro, quando outras indústrias forem atraídas pela siderúrgica, “caso o complexo prospere, a demanda de água superará a oferta atual”.

Notem o ato falho na utilização da palavra “prospere”. Eles não querem que nada prospere. Também omitem que a siderúrgica vai produzir placas grossas, para exportação, e não as placas finas que atrairiam empresas metalúrgicas de processamento.

Mais FALACIOSO ainda é chamar a agricultura de Apodi de agrobusiness, ao modo de um palavrão que desclassifica tudo. Apodi é uma história de sucesso e exuberância agrícola e grande diversidade de produção e formas de propriedade.

Ali cresce, graças à Embrapa, a mais produtiva variedade de acerola.

Ali o governo federal está implantando um projeto específico de financiamento da agricultura familiar.

Ali existem seis assentamentos agrícolas e três cooperativas de produtores.

Ali o governo instalou também um projeto de três minifábricas familiares para o processamento da castanha do caju, e um outro que vai beneficiar 400 pequenos produtores de mel. Um único projeto de irrigação em andamento no Apodi, com água pressurizada, vai atender a mais de 200 agricultores.

Todas essas FALÁCIAS e mais algumas foram inventadas pela CPT depois que se desmoralizou o argumento principal anterior de que a adutora ia secar o Rio São Francisco. Ocorre que, em julho de 2004, depois de intensos debates técnicos, o governo inverteu a lógica do antigo projeto pelo qual as águas do São Francisco seriam transpostas para os sistemas do semi-árido sempre que seus açudes estivessem baixos, sem levar em conta o nível da represa de Sobradinho. Ficou decidido que será retirada uma quantidade mínima para garantir o consumo humano, e só quando Sobradinho tiver excesso de água, a captação será maior.

Na sua nova formulação são retirados 26,4 metros cúbicos por segundo, cerca de 1% da vazão no local da captação, e somente quando Sobradinho estiver vertendo, ou seja, botando fora excesso de água, a captação pode aumentar, mesmo assim até o limite de 87,9 metros cúbicos. O Rima estima que, na média anual, a perda do rio vai ficar em 65 metros cúbicos por segundo.

Trecho do artigo O Natal da Discórdia, de Bernardo Kucinski


Últimas

Carta a Letícia Sabatella
Arrecadação aumenta mais de R$ 54 bi e cobre perda com CPMF
A imprensa dessa vez cuidou do seu próprio bolso
Sem Boa Causa Não Há Mártir
Operação desmonta quadrilha em MG acusada de sonegar R$ 400 milhões
Utilitários
Dicas para Windows
10 dicas que vão deixar o seu
Windows XP mais rápido
Segunda Célula.
A segunda
Celula tem
importancia porque é segunda
Terceira Célula.
A terceira Celula tem
importancia porque é terceira
Quarta Célula.
A terceira Celula tem
importancia porque é terceira
Quinta Célula.
A terceira Celula tem
importancia porque é terceira
Sexta Célula.
A terceira Celula tem
importancia porque é terceira


Helio de Almeida Oliveira. 2007 - heliomanager@hotmail.com